Face à incapacidade do governo e, em particular, do Ministério da Educação em honrar o compromisso que assumiu, cumprir a lei, respeitar a Assembleia da República e tomar medidas que deem um efetivo combate aos problemas das escolas e dos seus profissionais, as organizações sindicais de docentes – ASPL, FENPROF, FNE, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPE, SIPPEB e SPLIU – decidiram avançar para a greve na primeira semana de outubro.

Leia Comunicado das organizações sindicais de professores e educadores

De 17 a 21 de setembro 
Ordem de Trabalhos:
1. As inaceitáveis posições do Governo sobre a carreira docente e o retomar das negociações;
2. O incumprimento da Declaração de Compromisso: carreiras; horários e outras condições de trabalho; desgaste e exaustão dos professores; aposentação; Leia mais
 
Tomada de posição em aprovação nos plenários

Carta aos Encarregados de Educação

A Direção Nacional da ASPL lamenta e repudia as falsidades/dados incorretos constantes no Relatório da OCDE, porquanto, quer no que respeita aos vencimentos, quer aos horários de trabalho, os dados divulgados não correspondem à realidade dos factos e da vida dos professores e educadores portugueses!

Com a publicação da NOTA INFORMATIVA Nº 9/ IGeFE / DGRH / 2018, esclarece-se que a compensação é devida quando ocorra a caducidade do contrato a termo resolutivo por motivo não imputável ao trabalhador na data prevista para o efeito e que não há pagamento de compensação no caso de integração no quadro ou QZP.
 
Assim, todos os docentes contratados até 31 de agosto, independentemente de virem a ser colocados em setembro, têm direito a esta compensação por caducidade.

Inscreva-se e participe nesta grande festa do desporto e das famílias!
Todos os nossos associados estão convidados a participar nesta iniciativa, a um custo de valor simbólico, a reverter a favor da Fundação Social Bancária do SNQTB.
Saiba mais.

A ASPL presta sentida homenagem e gratidão à nossa amiga, professora, sócia e dirigente sindical – Dr.ª Amélia Fialho, a quem foi tragicamente tirada a vida, no passado dia 1 de setembro!

O funeral realiza-se no dia 13 de setembro, pelas 15h30, em Vendas Novas.

Depois de uma reunião em que não apresentou qualquer proposta para negociar o prazo e o modo de recuperar os anos do congelamento, governo decidiu, unilateralmente, apagar mais de 6,5 anos de tempo que os professores trabalharam
 
Foi uma comédia de mau gosto a reunião que hoje (7 de setembro) decorreu no Ministério da Educação e que servia, essencialmente, para prosseguir a negociação da recuperação do tempo de serviço cumprido pelos professores nos períodos de congelamento (9 anos, 4 meses e 2 dias).

Leia na íntegra o Comunicado das Organizações Sindicais de Professores e Educadores

A ASPL e demais organizações sindicais, subscritoras da Declaração de Compromisso assinada a 18 de novembro passado, foram convocadas pelo Ministério da Educação (ME) para uma nova ronda negocial sobre a recomposição da carreira, a realizar-se amanhã, dia 7 de setembro, às 15h00.  De assinalar que esta reabertura das negociações sobre a recomposição da carreira muito se deve à luta dos professores e educadores, que aderiram massivamente à greve às avaliações e marcaram presença nas concentrações regionais de 13 de julho.