Comunicado: Frente Sindical de Docentes recusa proposta do Governo e promete novas formas de luta

A Frente Sindical de Docentes recusou a proposta apresentada pelo Ministério da Educação na reunião tida hoje a propósito do descongelamento das carreiras dos professores e promete novas formas de luta conjuntas com os restantes sindicatos. A proposta apresentada pela Tutela pretende apenas pagar o valor correspondente ao tempo de serviço em que os professores tiveram as carreiras congeladas a partir de 2020, e prevê que o pagamento seja apenas correspondente a sete anos de serviço, entre 2011 e 2017, ao invés dos nove anos e quatro meses exigidos pelos professores.
 

A estrutura, que que reúne os sindicatos ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPPEB, SIPE e SPLIU não chegou por isso a acordo com o Governo após reunião tida hoje com a Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão e com a Secretária de Estado da Administração e Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca, e exige que os professores comecem a ser ressarcidos já a partir de 2018, na totalidade dos anos de serviço em que viram as suas carreiras congeladas.

 

Leia mais no Comunicado em anexo:

Pré-visualizaçãoAnexoTamanho
fsd_06.pdf73.18 KB