Manifestação Nacional de Docentes

Dezenas de milhar de Professores e Educadores irão manifestar-se, amanhã, em Lisboa
 
A anunciada presença do Ministro da Educação na Assembleia da República (quarta, 23 de maio) faz aumentar a importância desta grande Manifestação Nacional dos Professores
 
 
Serão dezenas de milhar os professores que marcarão presença na Manifestação de amanhã, 19 de maio, em Lisboa. Um protesto que também está a mobilizar os professores nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, onde se realizarão, igualmente, concentrações de docentes.
 
Os motivos desta Manifestação são conhecidos (tempo de serviço, carreira, aposentação, horários de trabalho, combate à precariedade, concursos justos e transparentes, entre outros), mas agora há um novo e de enorme importância: o Ministro da Educação vai estar na Comissão de Educação e Ciência da Assembleia da República, no dia 23, à tarde, para responder a perguntas dos deputados e participar num debate centrado nas questões relativas aos trabalhadores, docentes e não docentes, da Escola Pública. É evidente que, antes deste debate, Ministro, Governo e Grupos Parlamentares estarão de olhos postos na Manifestação Nacional dos Professores, que se realiza amanhã; é óbvio que uma fortíssima presença dos professores na rua será um contributo valiosíssimo para fazer valer posições favoráveis aos professores. 
 
Relativamente à organização da Manifestação de amanhã, informa-se que os professores se começarão a concentrar no Marquês de Pombal a partir das 14:00 horas;  às 15:00 horas iniciar-se-ão as intervenções dos principais responsáveis das organizações que convocam a Manifestação e será lida e posta à votação uma Resolução que, a ser aprovada, será entregue ao Governo (Presidência do Conselho de Ministros, Ministro da Educação e Ministro das Finanças) e aos Grupos Parlamentares; pelas 16 horas iniciar-se-á o desfile até ao Largo do Rossio, devendo prolongar-se até cerca das 17:30 horas. Este desfile será muito marcado pelas mensagens fortes que os professores deixarão ao Governo, pelo colorido e diversidade dos materiais, mas, essencialmente, ele traduzirá o protesto e as exigências dos Professores e Educadores, face ao atual rumo das políticas educativas e ao crescente desinvestimento na Educação, desde logo na Escola Pública.
 
As organizações sindicais de professores e educadores
ASPL, FENPROF, FNE, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPE, SIPPEB, SPLIU