Mensagem da Presidente da Direção Nacional da ASPL

Caros colegas associados da ASPL:
 
        Nesta quadra natalícia, propícia a renovarmos as nossas esperanças e projetos, quando possível no calor do aconchego familiar e com a força das amizades que fomos construindo, apresento em nome pessoal e em nome da direção da ASPL, os votos de que seja um tempo vivido em solidariedade e partilha, da melhor forma possível, e que o novo ano nos permita a concretização dessas mesmas esperanças e projetos.
        O ano que agora termina não foi nada fácil para ninguém, mas, como bem sabemos, para os professores e educadores, as dificuldades multiplicam-se sempre pelo número de alunos que nos são confiados, pois para educar e ensinar é forçoso a atenção e a consideração pelo ambiente sociofamiliar que cada um carrega consigo. E se a este nível tudo se tem degradado, a nível das condições em que desenvolvemos a nossa atividade profissional, infelizmente nada melhora, bem pelo contrário! Os horários de trabalho estão cada vez mais sobrecarregados, sobretudo devido aos cortes orçamentais que impedem a contratação de mais docentes que são absolutamente necessários; as tarefas, designadamente na elaboração/preenchimento de documentos, que nos exigem são cada vez em maior número, muitas vezes sem que se compreenda a sua utilidade ou sentido; as perspetivas de desenvolvimento da carreira estão há muito completamente truncadas, sem que possa haver qualquer melhoria ou mesmo retorno aos níveis salariais anteriores a 2011...
        O desastroso arranque deste ano letivo 2014/2015 foi a gota d' água que fez transbordar a total incompetência e insensibilidade da equipa que tutela a área da educação face à dura realidade vivida quotidianamente nas nossas escolas, sobretudo pelos seus principais agentes: os alunos e os professores/educadores. O mais revoltante é sabermos que tais erros e suas nefastas consequências, podiam e deviam ter sido evitados, pois que nós, como professores e dirigentes sindicais responsáveis e atentos às propostas governamentais, alertamos muito atempadamente os responsáveis destas políticas absurdas e profundamente nocivas.
        Contudo, não nos basta esta consciência de que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para evitar tamanhos males, indigna-nos o facto da teimosia, da arrogância e do ensimesmamento da tutela não pararem perante nada, nem mesmo perante um país que vê o seu futuro hipotecado e destroçado, pois quando não se consegue garantir escolas abertas, dotadas de professores/educadores e de técnicos auxiliares de educação, para todas as nossas crianças e jovens, quando muitos destes para além da educação, do ensino e da formação, procuram também nas escolas o pão que não têm em suas casas! Quando chegamos aqui, caros colegas e amigos, pouco mais podemos dizer sobre o estado em que, infelizmente, nos encontramos!
        O que nos importa agora, mais do que relembrar todos os males infligidos ao longo destes últimos anos é procurarmos os meios que nos possam conduzir às melhorias graduais e necessárias para não deixarmos que nos roubem o nosso futuro, como pessoas e profissionais, mas também como cidadãos de um país rico de história, de potencialidades e de capacidades suficientes para nos transformarem e crescermos nas mais diversas dimensões.
        É o que queremos fazer em conjunto e solidariamente com todos os associados da ASPL em 2015! Queremos continuar a estar consigo, na sua escola ou fora dela, para juntos enfrentarmos o dia-a-dia da nossa profissão, num ano em que, para além do que já conhecemos, teremos de lutar contra novas medidas governamentais que em nada melhorarão as nossas vidas, nem a vida dos nossos alunos ou das escolas, mas que esta equipa ministerial pretende impor silenciosamente, sem que haja negociação com os sindicatos ou qualquer outro tipo de audição ou discussão pública, pois sem oposição, nem manifestações, é mais fácil fazerem o que querem e ainda lhe chamam governar! Refiro-me nomeadamente à MUNICIPALIZAÇÃO transferindo para as câmaras competências várias designadamente ao nível da contratação das ofertas de escola, da formação contínua e também da colocação de docentes de carreira. Refiro-me também à REQUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL e à MOBILIDADE ESPECIAL para os docentes sem componente letiva! Refiro-me também a tantas outras medidas, como a tabela única de vencimentos para onde transitarão todos os docentes, que poderá significar o início do fim do nosso estatuto de carreira docente, ou  as futuras alterações ao regime dos concursos.
        Colegas e amigos, 2015 não será, certamente, um ano fácil! As exigências que teremos serão em maior número e de maior complexidade; mas não baixaremos os braços, porque desistir nunca foi, nem é, e nem será, a nossa opção!
        Estamos convictos de que unidos conseguiremos melhor enfrentar e resolver os problemas e desafios; é por isso que queremos desejar-lhe o melhor para o Novo Ano, sobretudo saúde, para si e para os seus familiares e amigos, pois tudo o resto virá com a nossa determinação, trabalho e união!
Conte com a ASPL; Nós contamos consigo!
A ASPL SEMPRE CONSIGO, esteja você onde estiver!
        Feliz 2015!
 
A Presidente da Direção da ASPL