Segunda-feira, dia 26 de novembro, o dia D no futuro da carreira docente!

 
Votação na Assembleia da República das iniciativas dos partidos que não foram indiferentes à luta dos Professores e educadores.

Esperemos que os ecos deixados pelas milhares de vozes de professores, do "Não ao apagão", se façam sentir bem fortes nesse dia, convergindo em votações que permitam, finalmente, a contagem integral dos 9 anos, 4 meses e 2 dias!
 
As organizações sindicais de professores saúdam os vários grupos parlamentares que apresentaram iniciativas no sentido da contagem integral do tempo de serviço congelado (PSD, Bloco de Esquerda, CDS/PP e PCP) e consideram muito importante que os grupos parlamentares convirjam positivamente numa solução que:
 
- Reitere o disposto no artigo 19.º da Lei do Orçamento do Estado de 2018;
- Abra espaço a uma solução igual à aprovada na Região Autónoma da Madeira;
- Estabeleça, para eventual processo negocial, em que, inclusivamente, deverá ser considerada a possibilidade de recuperação para aposentação, um prazo máximo de 90 dias, impedindo que o processo se arraste para além disso.
 
A aprovação de uma solução igual à da Madeira, mesmo não sendo a posição inicial das organizações sindicais de professores, apresenta, neste momento, diversas vantagens:
- Uniformizará a situação em todo o território nacional, incluindo o período de faseamento;
- Merece o apoio unânime dos partidos políticos, tendo em conta a posição que já assumiram na Assembleia Legislativa Regional;
- Já foi sujeita a processo negocial, em que estiveram envolvidas as organizações sindicais de professores.
 
Mais se informa que a votação das iniciativas dos partidos será na próxima segunda-feira, dia 26 de novembro, à tarde, sendo a discussão das mesmas feitas na manhã desse dia.