A ASPL foi convocada, ao final da tarde do dia 4 de dezembro, para uma reunião negocial sobre a recomposição da carreira docente, a realizar-se no dia seguinte, dia 5 de dezembro, nas instalações da DGE, sitas na Av. 24 julho, em Lisboa, com início às 18h00.
 
COMUNICADO da ASPL sobre a reunião com ME - 5 dezembro 2018
 
Fórum TSF - intervenção da Vice-Presidente da ASPL 

"Como presidente de uma das organizações sindicais de professores que esteve presente em todas as reuniões que existiram, neste último ano, venho informar Vossa Excelência que nenhuma delas versou a negociação do “prazo e do modo de recuperação do tempo de serviço”, como o governo afirma, e a que está obrigado pela Lei fundamental do nosso País: a Lei do Orçamento de Estado de 2018."

Leia a Carta Aberta - da Presidente da ASPL - dirigida ao Senhor Primeiro-Ministro

 
Defendendo o reposicionamento justo e equitativo, sem margem para ultrapassagens, a ASPL tem estado a dar todo o apoio necessário aos colegas que agora são objeto de reposicionamento na carreira, designadamente através do apoio do seu Gabinete Jurídico, assim como dará aos sócios que se sintam ultrapassados. 
 
Leia mais

Negociações com o ME
16/11/2017

Deixamos aqui o ponto de situação feito esta madrugada, pela voz do colega Mário Nogueira, Secretário Geral da FENPROF (última organização a ser recebida, dado que as reuniões foram em separado: Frente Sindical de Docentes às 16.00, FNE às 17.00 e FENPROF às 18.00).

Hoje, pelas 17.30, continuaremos, já em conjunto, a negociar com o Ministério da Educação.

A Frente Sindical dos Docentes é recebida esta noite (pelas 22h00) pela Secretária de Estado Adjunta, Alexandra Leitão, para uma reunião que antecipa a greve nacional de manhã. Os representantes da Frente Sindical de Docentes, afirmam «não seremos tolerantes face a uma proposta totalmente desadequada e injusta, e é isso que diremos hoje à Secretária de Estado, e demonstraremos amanhã, com milhares de associados em luta pela dignificação da sua profissão».
Leia mais.

16/11/2017

A Frente Sindical de Docentes recusou a proposta apresentada pelo Ministério da Educação na reunião tida hoje a propósito do descongelamento das carreiras dos professores e promete novas formas de luta conjuntas com os restantes sindicatos. A proposta apresentada pela Tutela pretende apenas pagar o valor correspondente ao tempo de serviço em que os professores tiveram as carreiras congeladas a partir de 2020, e prevê que o pagamento seja apenas correspondente a sete anos de serviço, entre 2011 e 2017, ao invés dos nove anos e quatro meses exigidos pelos professores.

Notícia Expresso

 
Assista à intervenção da Presidente da Direção Nacional da ASPL, dra Fátima Ferreira, no dia 15 de novembro de 2017, dia em que milhares de professores e educadores fizeram GREVE e se manifestaram em frente à Assembleia da República, dizendo NÃO ao APAGÃO de 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço!

Resolução a entregar ao Governo e à Assembleia da República (15/11/2017)

Como é do conhecimento de Vª Exª, os Professores e Educadores de Portugal estão a ser discriminados, relativamente aos restantes trabalhadores da administração pública, no que diz respeito ao descongelamento das progressões e contagem do tempo de serviço prestado. Senhor Primeiro-Ministro, a revitalização económica do país que todos desejamos terá de ser acompanhada por uma revitalização da confiança dos cidadãos nas instituições que os representam e governam, sob pena de esta, irremediavelmente, se perder.
Ler a Carta Aberta ao Senhor Primeiro-Ministro