Vivemos um período excecional de “estado de emergência”, o qual exige, da parte de todos, cuidados e medidas também eles extraordinários.
 
Face à crise pandémica que nos assola, a ASPL - Associação Sindical de Professores Licenciados apresentou ao Ministério da Educação (ME) um conjunto de sugestões e contributos, com vista a melhor se ultrapassarem os constrangimentos causados na Educação pela propagação do novo Coronavírus.

Leia Comunicado da ASPL na íntegra
 
Notícia LUSA/Educare.pt | Notícias ao Minuto | Correio da Manhã
"
Covid-19: Sindicato alerta que horário de docentes deve ser respeitado em casa"

No sentido de continuarmos a apoiar os nossos associados, designadamente no que diz respeito ao acesso a ferramentasrecursos e formação que nos auxiliem no trabalho remoto com os alunos, damos-lhe conhecimento dos seguintes projetos e plataformas online:

Leia mais
 
Inov8
 

N
OVO: curso: Do presencial ao online – guia de apoio à rede EPE. (Instituto Camões)
 
ANPRI - Bloco de Notas (Missão: Estratégia Digital da Escola)

Hoje, dia 30 de janeiro, comemora-se o Dia Escolar da Não Violência e da Paz. Pretende-se com esta efeméride alertar alunos, professores e educadores, pais, políticos e governantes para a necessidade de uma educação para a paz, que promova valores como o respeito, a igualdade, a tolerância, a solidariedade, a cooperação e a não violência.

 
Apesar de a Direção da ASPL não ter convocado greve para os professores e educadores, para o próximo dia 31 de janeiro de 2020, sexta-feira, está solidária com a mesma e com as razões constantes no Pré-Aviso, que a convoca!
 
Aproveitamos para relembrar que os docentes, incluindo os nossos associados, que pretendam aderir à greve, não carecem de apresentar nenhuma informação ou justificação, na sua escola ou agrupamento de escolas, para justificar a sua ausência ao trabalho, nesse dia.

Leia mais

Face à acentuada afronta que a proposta do PS para o Orçamento de Estado do Continente 2020 contém, designadamente no que às atualizações salariais concerne, que preveem apenas um acréscimo de 0.3% e mediante a perda de mais de 16% do poder de compra dos docentes, a ASPL manifesta-se contra esta política de desrespeito.
 
Apela-se a todos os colegas que queiram participar nesta simbólica iniciativa – Cordão Humano – que compareçam na próxima sexta-feira, dia 17 de janeiro, às 15h00, em frente à Assembleia da República, estando agendado para esse dia o debate na especialidade sobre a Educação, com a presença do Ministro da Educação.