Encontra-se disponível a aplicação eletrónica que permite ao docente proceder à desistência total ou parcial de contratação inicial (CI) e da reserva de recrutamento (RR), das 10:00 horas do dia 14 de agosto até às 18:00 horas do dia 17 de agosto de 2018 (hora de Portugal continental).
 
Consulte Nota Informativa.

Esta portaria Procede à regulamentação das ofertas educativas do ensino básico previstas no n.º 2 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho
Dúvida houvesse, ficou lamentavelmente esclarecido que o trabalho dos docentes nas avaliações dos seus alunos mais não consiste que um ato administrativo.

Leia mais

Encontra-se disponível a aplicação para a Meia jornada.
 
Consulte Nota Informativa.

 
AVISO N.º 2505-B/2015 - Aviso de Abertura do Concurso de educadores de infância e de professores dos ensinos básico e secundário para o ano escolar de 2015/2016, nos termos do previsto e regulado pelo Decreto-Lei n.º 132/2012, de 27 de junho, na redação que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei n.º 83-A/2014, de 23 de maio, retificado pela Declaração de Retificação n.º 36/2014, de 22 de julho

O prazo para apresentação da candidatura é de dez dias úteis, tendo início no 1.º dia útil após a publicação do presente aviso.

No âmbito do Ensino do Inglês no 1º Ciclo do Ensino Básico, a Direção-Geral do Ensino Superior disponibiliza na sua página eletrónica, aqui, os cursos de complemento de formação superior em Ensino de Inglês no 1º Ciclo do Ensino Básico já registados, bem como a lista dos pedidos em apreciação de registo da criação de cursos de complemento de formação para qualificação profissional para a docência no grupo 120.

ASPL, FENPROF, SEPLEU, SINAPE, SIPE, SIPPEB e SPLIU apresentaram a 23 de janeiro, ao final do dia, um pré-aviso de greve a todo o serviço relacionado com a designada prova de avaliação de conhecimentos e capacidades (PACC) que se estende a todo o mês de fevereiro.

Já se encontra disponível (na coluna da direita desta página) para visualização, download e impressão o Boletim Informativo da ASPL nº 68 de dezembro de 2014.

 

O Boletim Informativo da ASPL assume-se como um importante espaço para que os nossos associados tenham acesso a um conjunto de informações mais sistematizadas e que, em parte, retratam alguns dos eventos que ocorreram ao longo deste ano. Como sempre, encontrará nesta edição conteúdos importantes para a sua vida profissional e pessoal.

 

A ASPL deseja a todos um Próspero Ano Novo!

Caros colegas associados da ASPL:
        Nesta quadra natalícia, propícia a renovarmos as nossas esperanças e projetos, quando possível no calor do aconchego familiar e com a força das amizades que fomos construindo, apresento em nome pessoal e em nome da direção da ASPL, os votos de que seja um tempo vivido em solidariedade e partilha, da melhor forma possível, e que o novo ano nos permita a concretização dessas mesmas esperanças e projetos.
        O ano que agora termina não foi nada fácil para ninguém, mas, como bem sabemos, para os professores e educadores, as dificuldades multiplicam-se sempre pelo número de alunos que nos são confiados, pois para educar e ensinar é forçoso a atenção e a consideração pelo ambiente sociofamiliar que cada um carrega consigo. E se a este nível tudo se tem degradado, a nível das condições em que desenvolvemos a nossa atividade profissional, infelizmente nada melhora, bem pelo contrário! Os horários de trabalho estão cada vez mais sobrecarregados, sobretudo devido aos cortes orçamentais que impedem a contratação de mais docentes que são absolutamente necessários; as tarefas, designadamente na elaboração/preenchimento de documentos, que nos exigem são cada vez em maior número, muitas vezes sem que se compreenda a sua utilidade ou sentido; as perspetivas de desenvolvimento da carreira estão há muito completamente truncadas, sem que possa haver qualquer melhoria ou mesmo retorno aos níveis salariais anteriores a 2011...
        O desastroso arranque deste ano letivo 2014/2015 foi a gota d' água que fez transbordar a total incompetência e insensibilidade da equipa que tutela a área da educação face à dura realidade vivida quotidianamente nas nossas escolas, sobretudo pelos seus principais agentes: os alunos e os professores/educadores. O mais revoltante é sabermos que tais erros e suas nefastas consequências, podiam e deviam ter sido evitados, pois que nós, como professores e dirigentes sindicais responsáveis e atentos às propostas governamentais, alertamos muito atempadamente os responsáveis destas políticas absurdas e profundamente nocivas.
        Leia mensagem na íntegra